domingo, 19 de outubro de 2014

O show do Brasileirão – 19/10/14

Share |


Série A

A Rodada 29 do Brasileirão mostrou a volta das vitórias ao líder Cruzeiro. Os celestes foram a Salvador e se recuperaram de 3 derrotas seguidas ao vencer o desesperado Vitória por 1 a 0, gol de Dedé no fim do jogo. Os mineiros voltaram a colocar 7 pontos de diferença no vice-líder, o São Paulo.

O Tricolor do Morumbi reassumiu a vice-liderança do Campeonato ao vencer o Bahia por 2 a 1 no Morumbi, Rogério Ceni e Ganso marcaram para os paulistas e Fahel fez o de honra dos baianos, no Z-4. O Terceiro colocado agora é o Inter, que protagonizou um clássico contra o Corinthians em um lotado Beira-Rio. O colorado dominou o jogo, mas a maior eficiência corintiana saiu melhor e os paulistas venceram por 2 a 1. Gols de Gil e Guerrero para o alvinegro, enquanto Nilmar descontou para os gaúchos. O Corinthians entrou na briga pela Libertadores na quinta posição.

Fechando o G-4 está o Atlético-MG, a sensação do segundo turno. Jogando no Independência, o Galo venceu a Chapecoense pelo placar mínimo, gol de Douglas Santos. Clássico em São Paulo e o Santos, outro time em um bom momento, venceu o Palmeiras por 3 a 1, o Porco vinha de três vitórias seguidas. Geuvânio e Gabriel, com dois gols, fizeram os gols santistas e Henrique, artilheiro do Campeonato com 14 gols, descontou para os verdes.

O Fluminense venceu o Criciúma por 4 a 2 e, ainda, sonha com o G-4. O destaque do jogo foi Wagner, autor de dois gols, Conca e Fred completaram o placar. Ronaldo Alves e Lucca fizeram os gols do time catarinense. O único 0 a 0 da rodada aconteceu em Goiânia entre Goiás e Grêmio, o empate foi ruim para as duas equipes que se distanciaram do G-4. O Atlético-PR conseguiu uma ótima vitória em casa diante do Flamengo por 2 a 1, de virada. Eduardo da Silva abriu o placar para os cariocas, mas Cleo fez os dois gols da virada atleticana em Curitiba.

A briga pelo descenso está interessante e apresentou um confronto direto entre Figueirense e Coritiba em Florianópolis. Melhor para os mandantes que golearam o time coxa-branca por 4 a 0, o Coxa está na lanterna. Marcão(2), Mazola e Marco Antônio fizeram os gols da goleada alvinegra. Ainda no Z-4, o Botafogo perdeu a chance de sair da zona vermelha com o empate em casa com o Sport por 1 a 1. Diego Souza fez o gol do Leão e Wallyson empatou para o Bota.

Classificação após 29 rodadas

1º Cruzeiro – 59pts
2º São Paulo – 52pts
3º Internacional e Atlético-MG – 50pts
5º Corinthians – 49pts
6º Grêmio – 47pts
7º Santos e Fluminense – 45pts
9º Goiás – 38pts
10º Atlético-PR, Flamengo e Sport – 37pts
13º Figueirense – 35pts
14º Palmeiras e Chapecoense – 34pts
16º Vitória – 31pts
17º Botafogo, Criciúma e Bahia – 30pts
20º Coritiba – 29pts

Série B

Confronto de extremos no Canindé e deu a lógica. A líder Ponte Preta se aproximou do acesso com a vitória por 3 a 0 sobre a Portuguesa, mais lanterna do que nunca. O mesmo placar foi visto na vitória do novo vice-líder Joinville que bateu o Ceará; O Vasco foi a Arena Pernambuco e saiu derrotado pelo Santa Cruz por 1 a 0 e é o terceiro.  O G-4 é completado pelo Avaí, que, mesmo com a derrota por 2 a 0 para o Atlético-GO, continua com a 4ª posição.

O Náutico perdeu oportunidade de aproximar do G-4 ao apenas empatar com o Sampaio Correa em 1 a 1. O mesmo placar aconteceu entre os intermediários Paraná e América-MG. O ABC, eliminado na Copa do Brasil, perdeu em casa para o Luverdense por 1 a 0 e só não aproximou da zona de rebaixamento graças a derrota do rival América-RN para o Bragantino por 2 a 1. Os outros integrantes do Z-4 são Icasa, que empatou em casa sem gols com o Oeste, e Vila Nova, que foi derrotado pelo Boa Esporte por 3 a 0.

Série C

A Série C entrou na fase do mata-mata, oito times brigando por 4 vagas na Série B 2015. O Paysandu saiu na frente ao vencer o Tupi por 2 a 1. Grandes vantagens para CRB e Mogi Mirim. O time alagoano venceu o Madureira no Rio por 2 a 1 e os paulistas derrotaram o Salgueiro por 1 a 0 em Pernambuco. O Fortaleza tenta o acesso jogando em casa após o empate no norte fluminense diante do Macaé sem gols. Os 4 times que subirão serão definidos no próximo sábado.

Série D

Já na quarta divisão, os quatro times que subirão para a série C 20 15 foram definidos hoje. São estes: o Brasil de Pelotas, que derrotou o Brasiliense nos pênaltis, o Tombense-MG, que bateu o Moto Club-MA, o Confiança-SE, que passou pelo Jacupiense-BA, e o Londrina, que eliminou a Anapolina.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Copa do Brasil – partidas de volta das quartas

Share |
A Copa do Brasil entrou em sua reta final, neste meio de semana foram definidos os semifinalistas da competição que vale vaga na Libertadores. E só sobrou bicho grande. O que não faltou foi emoção nos jogos das quartas-de-final.

ABC (0)3x2(1) Cruzeiro     

Em Natal, o líder do Campeonato Brasileiro mostrou, mais uma vez, que tem caído de rendimento e passou aperto para se classificar diante do ABC. Os potiguares venceram por 3 a 2, mas os mineiros levaram a vaga por conta dos gols fora de casa. No primeiro tempo, os celestes abriram boa vantagem com gols de Willian e Henrique e parecia que a vaga viria com tranqüilidade. Porém, no segundo tempo, os gols de Marcelo Silva e Xuxa colocaram fogo no jogo e Alvinho, aos 40, fez com que os alvinegros ficassem a um gol da vaga. Mas, para o alívio dos cruzeirenses, o gol não veio e o Cruzeiro volta a semifinal após 9 anos.

Atlético-MG (0)4x1(2) Corinthians

No Mineirão, a Libertadores 2013 foi revivida de forma dramática pelos atleticanos. Como no título continental, o Galo conseguiu reverter uma grande vantagem do adversário e passar as semifinais ao golear o Corinthians por 4 a 1, de virada. O roteiro foi dramático, logo aos 4 minutos, Guerrero ampliou a vantagem corintiana, a partir daí, os mineiros precisariam virar o jogo para 4 a 1. Luan e Guilherme, ainda no primeiro tempo, viraram o jogo para os mandantes e acenderam a torcida no Gigante da Pampulha. Os cânticos de “EU Acredito”, tão presentes na Libertadores 2013 voltaram com o gol de Guilherme, mais um do camisa 17, o terceiro do Galo. Mas a massa explodiu de vez com o quarto gol, marcado por Edcarlos, o gol da vaga heróica no Mineirão.

Flamengo (1)1x0(0) América-RN

O Flamengo não teve dificuldades para derrotar, novamente, o América de Natal. O Rubro-Negro repetiu o placar do jogo de ida e venceu o time potiguar por 1 a 0 no Maracanã. O gol da vitória flamenguista saiu com Gabriel no segundo tempo. O adversário rubro-negro nas semifinais será o Atlético-MG. Um jogo que reviverá a rivalidade entre as duas equipes nos anos 80.

Santos (3)5x0(2) Botafogo

O Santos deu um show no Pacaembu diante do Botafogo. O alvinegro praiano goleou o carioca por 5 a 0 com enorme facilidade. O Botafogo teve sua crise sem precedentes aumentada diante desta goleada. Os gols do Peixe saíram com Gabigol, David Braz e Lucas Lima no primeiro tempo. Na etapa final, David Braz, novamente, e Geuvânio completaram a goleada paulista. O Peixe, na semifinal, enfrentará o líder do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro. Será a segunda semifinal de Copa do Brasil entre ambos, em 2000, a Raposa deixou o time paulista pelo caminho e passou a final.

Brasileiros na Sul-Americana

A semana foi ruim para os brasileiros que disputaram a Copa Sul-Americana. Só o São Paulo passou para as quartas-de-final. O time do Morumbi voltou a vencer o Huachipato do Chile por 3 a 2 e faz um duelo contra o Emelec nesta fase da competição. O time equatoriano foi o algoz do Goiás, derrotando-o nos pênaltis por 5 a 4, após vitória goiana no tempo normal por 1 a 0.

Já as equipes baianas que poderiam protagonizar um Ba-Vi, foram eliminadas. O Bahia foi ao Peru e perdeu para o Universidad César Valejo por 2 a 0 no tempo normal e foi eliminado nos pênaltis por 7 a 6. Já o Vitória perdeu em casa por 1 a 0 para o Atlético Nacional da Colômbia e também deu adeus a competição internacional.

sábado, 11 de outubro de 2014

Tardelli comanda vitória brasileira no Superclássico

Share |


O torcedor atleticano sabe como Diego Tardelli gosta de clássicos, foram muitos gols no rival Cruzeiro. Mas, na manhã deste sábado foi a vez do torcedor brasileiro conhecer este lado decisivo do atacante alvinegro. O camisa 9 foi o nome do Superclássico das Américas entre Brasil e Argentina marcando os dois gols da vitória brasileira em Pequim.

O jogo era de vital importância para a Seleção recuperar seu prestígio, perdido após a Copa no Brasil. Para isto, Dunga repetiu o time que jogou contra Colômbia e Equador com a trinca de meias formada por Willian, Oscar e Neymar, se revezando com Tardelii no ataque. A Argentina, vice-campeã mundial no Brasil, continuara apostando no trio Di Maria, Messi e Aguero.

Os Hermanos começaram assustando com Aguero logo no inicio de jogo e tendo mais posse de bola, aproveitando os espaços dados pelos brasileiros, especialmente, a dupla de volantes, Elias e Luiz Gustavo.  Porém, os argentinos não aproveitaram as chances feitas por Di Maria e Pereyra.

Esperando os contra-ataques, o Brasil começou perdido, mas logo se acertou em campo e o lado decisivo de Diego Tardelli apareceu na primeira chance brasileira no jogo, aos 31 minutos, cruzamento de Oscar, falha da zaga argentina e o camisa 9 fuzilou Romero. 1 a 0. Foi o primeiro gol do atacante atleticano com a camisa amarela.

O gol assustou os argentinos que pararam de dominar a partida e os brasileiros começaram a criar chances. Neymar apareceu na frente de Romero, mas errou na finalização.

No fim do 1º tempo, Di Maria caiu na área e o juiz marcou pênalti. Duelo marcado entre Messi e Jefferson e na cobrança, o brasileiro fez uma ótima defesa e deu moral para a equipe brasileira no segundo tempo.

O segundo tempo começou com o Brasil comandando o jogo e tocando a bola com tranquilidade. Dunga acertou a marcação e anulou as principais jogadas argentinas. Filipe Luis apareceu na área e chutou por cima. Enquanto isso, Neymar era caçado pelos argentinos, mas o juiz chinês pouco coibia a violência para cima do camisa 10 brasileiro.

Quando Tata Martino colocou Pastore e Higuain nos lugares de Lamela e Aguero, o faro decisivo de Diego Tardelli apareceu novamente. Aos 18, ele cabeceou bola levantada por Neymar e fez a festa dos brasileiros e chineses que estavam torcendo para a nossa seleção.

Com Kaká no banco, os chineses pediram o meia e foram atendidos, o meia são-paulino entrou no lugar do herói da noite no Ninho do Pássaro, Diego Tardelli. Neymar continuara errando gols na cara de Romero. Gil e Robinho também entraram no time, mas pouco alteraram o ritmo de jogo e mais um título veio para a Seleção.

Foi uma atuação que recuperou um pouco o prestígio do Brasil perante o público mundial, que foi abalado depois da Copa do Mundo. O time brasileiro continua em solo asiático, onde na terça enfrenta o Japão em Singapura.

Seleção Olímpica vence a Bolívia

Enquanto os principais estão na Ásia, a Seleção Sub-21, ou olímpica, está, também, jogando. Os comandados de Alexandre Gallo enfrentaram a Seleção principal da Bolívia em Cuiabá. Os garotos se apresentaram bem e venceram os bolivianos por 3 a 1. O destaque do jogo foi o atacante Thalles do Vasco, autor de dois gols, Luan, do Grêmio, completou. Lizio fez o de honra dos bolivianos. O Brasil sub-21 volta a jogar na segunda em Brasília contra a Seleção Sub-23 dos Estados Unidos.


terça-feira, 23 de setembro de 2014

A Ignorância do Torcedor

Share |

O comportamento do torcedor nos estádios é o reflexo da sociedade brasileira, esta é uma frase clichê, mas que tem a ver com o que vivemos no estádio de futebol. Neste último domingo, fui ao clássico mineiro entre Cruzeiro e Atlético no Mineirão, o primeiro clássico que fui em toda a minha vida e presenciei fatos que quero comentar com os amigos do Blog.

O principal fato foram as bombas vindas das torcidas dos dois times e que até paralisaram o jogo por alguns minutos, situações assim só acontecem porque as leis brasileiras não são cumpridas a risca, é a famosa impunidade. O torcedor mal caráter sabe que se aprontar no jogo não será punido e arruma baderna, uma grande parte dos atleticanos foram ao Mineirão só para aprontar e brigar com PM e torcida do Cruzeiro, o que afasta os torcedores de bem. Falta, também, uma fiscalização maior por parte dos órgãos de segurança para se evitar entrar nos estádios com artefatos perigosos, se eles entram é porque tem falhas na revista de torcedores nas horas em que vão se acessar o palco.

Outro fato que me deixou bastante indignado e as pessoas que estavam junto comigo, também, foi fato de alguns torcedores que viram o jogo em pé em cima das cadeiras. O fato obrigou a este blogueiro que vos escreve a tomar a mesma atitude porque não veria nada do jogo e não conseguindo pois meus pés doem muito. Agora eu pergunto: Será que esses torcedores também sobem nas cadeiras de suas casas? Eu que gosto muito de ir no estádio, acho um lugar fantástico para ir, aquela atmosfera me contagia muito, se não eu não voltaria.

Estas atitudes, obviamente, não foram vistas na Copa, pois o público era outro, mas acho que o Brasil precisa mudar muita coisa na cabeça do cidadão, mas fazer o que se a política é do jeito que é? Com corrupções e alienações por parte dos governantes

Uma reflexão para terminar essa explanação. Será que vale a pena ter arenas modernas se o torcedor se comporta como nos antigos estádios?

segunda-feira, 28 de julho de 2014

O Libertador do Galo

Share |


Muitos de vocês vão se surpreender com este escrito meu, as restrições enormes que tenho com o Ronaldinho e pelo fato dele ter jogado no Atlético, maior rival do Cruzeiro. Mas com o ciclo do dentuço se encerrando no Galo, tenho que escrever.
. Digo isso porque todos sabem

Ronaldinho Gaúcho chegou a BH desacreditado, assim como a base do Atlético à época. R10 foi chutado do Flamengo e o Galo, a anos, procurava uma campanha digna de suas tradições. Lá fora, o Clube Atlético Mineiro era um time desconhecido e com pouca tradição internacional.

Eu fui um dos vários que zombaram da contratação do “Mágico da Bola” em meados de 2012, por motivos óbvios, a fase dele no Flamengo e jogando no maior rival do meu time. Mas a química entre a sofrida torcida atleticana e Ronnie foi algo muito envolvente. O fato da torcida abraçar o jogador na doença da mãe foi algo inédito a época no futebol brasileiro e fez com que o R10 começasse a ser o Libertador do Galo.

No brasileiro, Ronaldinho começou a ser o líder técnico do time que encantou o Brasil e que, por muito pouco, não foi Campeão Brasileiro, mas fez o time voltar a Libertadores após 13 anos.

Ronaldinho queria mais, queria a América, para isto se juntou a um quarteto fantástico formado por Jô, Bernard e Tardelli. Fez uma primeira fase estupenda, merecendo a chance, não aproveitada, de voltar a Seleção, protagonizando lances fantásticos que o levaram em outra época a ser o melhor jogador do planeta. A cada gol, a paixão mutua entre o Gaúcho e a Massa do Galo, ia aumentando mais e mais. Ronaldinho não foi brilhante nos jogos finais, mas sua presença inibe qualquer um.

O título da Libertadores veio, a libertação do Atlético aconteceu de um clube desconhecido, o Galo passou a ser conhecido mundialmente. Até o Cruzeiro se beneficiou disso em 2013, pois o título do rival inflamou os ânimos da torcida e levou a Raposa ao título brasileiro, tão comemorado por mim.

Nem o vexame em Marrocos apagou a admiração deste libertador alvinegro pelos seus torcedores. Torcedores que estarão sempre gratos a Ronaldinho Gaúcho por ter ajudado a colocar o Atlético em um outro patamar.

terça-feira, 15 de julho de 2014

A Copa da Minha vida

Share |


A Copa de 2014 já faz parte da história e da lembrança de todos que viveram estes dias de intensidade monstra que fizeram parte do Brasil. Por ser um evento no país do futebol, a Copa 2014 já poderia ser considerada muito especial, mas foi melhor ainda por tudo que aconteceu, ao ponto de se chegar e dizer que foi a Copa das Copas. No meu caso, um apaixonado por futebol e por esportes, ter um evento dessa magnitude na minha cidade e ir em cinco jogos, foi uma experiência inesquecível e muito gratificante. Esta Copa foi a Copa da minha vida.

Para os críticos de antes do mundial que disseram mil e uma coisas que aconteceriam, caos nos aeroportos, manifestações, confusões nas cidades, eles tiveram que se render pois não teve nada disso. Claro que teve alguns episódios como as invasões de argentinos e chilenos no Maracanã, roubos de ingressos, mas foram só episódios isolados que não atrapalharam o andamento dos torcedores e dos jogos. O Brasil surpreendeu o mundo na organização do evento.

O Brasil foi surpreendido também pelos visitantes, simpáticos e atenciosos, o país soube acolher muito bem os visitantes, muitos deles se sentiram em casa com a alegria do brasileiro. A troca cultural é um dos grandes aprendizados que o país ganha ao receber uma Copa e foi o mais legal de ir nos jogos, todos os povos que o Mineirão e BH recebeu, foram bem gentis e conversaram com  o pessoal daqui.

Dentro de campo, a Copa nos reservou momentos inesquecíveis e que virarão páginas de livros das Copas. As goleadas da Holanda sobre a Espanha (5 a 1) e da Alemanha sobre Portugal (4 a 0) na Bahia. A mordida do uruguaio Suarez em Chiellini e a suspensão forte dada ao mordedor. Novos ídolos do futebol mundial surgiram como o colombiano James Rodriguez, artilheiro do Mundial com seis gols, e o brasileiro David Luiz, o único que se salvou do vexame brasileiro. A comoção mundial por conta da contusão de Neymar.

Claro que o dia 8 de julho de 2014 para sempre será marcado e acabou manchando a Copa para nós brasileiros. A humilhação causada pela Alemanha ao enfiar 7 a 1 no Brasil em pleno Mineirão, foi doída, difícil de engolir, mas serviu para colocar o país numa realidade muito longe da divulgada pela imprensa.

A Copa da minha vida foi a primeira oportunidade minha de ir a um evento mundial desta magnitude. A troca de experiências com outras culturas nos jogos em que fui, colombianos, belgas, argelinos, costarriquenhos, iranianos, brasileiros de outros estados, foi uma experiência fantástica. Vi e vivi momentos inesquecíveis durante os cinco jogos que eu compareci. A invasão colombiana e o mar amarelo no jogo contra a Grécia, o sufoco belga no jogo contra a Argélia, a torcida argentina apreensiva no jogo contra o Irã, a comitiva do príncipe Harry passando na minha frente.  Ver um jogo da Seleção em uma Copa do Mundo no estádio já é por si só emocionante, mas o jogo contra o Chile foi fantástico. Os pênaltis defendidos por Júlio César, a frieza de Neymar, enfim, muitas emoções.

Obrigado Copa, obrigado futebol por ter me feito realizar o sonho de ver jogadores que são ídolos ao vivo no estádio. Vi James Rodriguez, vi Hazard, Lukaku, Alexis Sanchez, Lampard, Rooney, Thiago Silva, Di Maria. E, principalmente, o maior jogador que vi jogar, Lionel Messi, eu não vi Pelé e Maradona, mas vi os feitos do argentino, e vê-lo jogar in loco e com gol foi algo que guardarei para sempre em minha memória.

A Copa acabou, mas o futebol não para e no Esporte é Vida, você terá cobertura do futebol brasileiro.

Seleção da Copa por Leonardo Martins

Goleiro: Manuel Neuer (Alemanha)

Lateral-direito: Phillip Lahm (Alemanha)
Zagueiros: David Luiz (Brasil) e Matt Hummels (Alemanha)
Lateral-esquerdo: Danny Blind (Holanda)

Volante: Javier Mascherano (Argentina)
Meias: Toni Kroos (Alemanha) e James Rodriguez (Colômbia)

Atacantes: Arjen Robben (Holanda), Lionel Messi (Argentina) e Thomas Muller (Alemanha)

Técnico: José Pekerman (Colômbia)