quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Os resultados no Rio

Share |


As Paralimpíadas completaram uma semana nesta quarta-feira e muitas emoções rolaram nestes 7 dias. Este que vos escreve tem acompanhado as competições no Rio e traz um balanço destes dias paralímpicos na cidade maravilhosa.

A campanha brasileira tem empolgado a torcida que tem comparecido em grande numero as arenas das competições. A         te o fechamento deste texto, o país tinha conquistado 53 medalhas 10 de ouro, 25 de prata e 18 de bronze um recorde de medalhas em Paralimpíadas na 7ª colocação, e está perto da meta estabelecida pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, que é de terminar entre as 5 primeiras colocadas no quadro de medalhas.

Medalhas estão surgindo em vários esportes, principalmente, no atletismo e na natação.. O que chama a atenção na campanha brasileira no Rio é a quantidade elevada de medalhas de prata, o que mostra que o país é uma potencia paralímpica  Alguns nomes, claro, tem se destacado, como esperado, o nadador Daniel Dias tem dado show no Estádio Aquático. Daniel vem puxando a natação com 5 medalhas, sendo duas de ouro,, e se isolando como o maior atleta paralímpico do país com 20 medalhas. Outro destaque foi o velocista, Peetrúcio da Silva, da categoria T47, para pessoas com paralisia cerebral, Petrúcio venceu os 100m rasos com recorde mundial e faturou uma prata no revezamento. Outros nomes vem decepcionando, caso de Alan Fonteles, que veio para a Páralímpiada visivelmente fora de forma e faturou apenas uma prata, no revezamento já citado acima.

Daqui para frente, se espera muito dos esportes coletivos que estão bem. O vôlei sentado, o futebol de 5 para deficientes visuais,, o futebol de 7 para pessoas com paralisia cerebral,  e o goalball.  Todas estas modalidades tem chance de chegar as medalhas na Paralimpíada do Rio.

Mas o grande sucesso e o grande legado das competições paralímpicas é a torcida O sucesso fica para o fato de que as arenas estão sempre lotadas, muitas vezes, superando público das Olimpíadas. O Parque Olímpico chegou a receber mais público num único dia nas Paralimpiadas que na competição Olímpica e isto tem ajudado os atletas brasileiros nas competições.

Já o legado está no fato de que estas Paralimpíadas pode representar uma maior inclusão de deficientes na sociedade através do esporte. O público tem entendido e respeitado as competições e idolatrado os esportistas, que são pessoas comuns,, como outros atletas, só tem deficiências, mas podem ser campeões no esporte e serem respeitados na sociedade assim como os deficientes em geral.

Um comentário:

Mario Lucio disse...

14/09 foi o dia da 1ª medalha de ouro do meu ídolo Alessandro Zanardi.