segunda-feira, 7 de junho de 2010

Guia da Copa de 2010

Share |
Por Gabriel Seixas, Leonardo Martins e Saimon Nouh

A Copa do Mundo da África do Sul começa na próxima sexta-feira, quando áfrica do Sul e México estiverem entrando em campo, o mundo estará se voltando para o Continente Africano. Em sua primeira cobertura de Copa do Mundo, o Esporte é Vida preparou um super guia para que vocês conheçam quem pode brilhar na Copa e algumas curiosidades sobre os 32 países que vão pisar nos gramados sul-africanos. Esperamos que gostem do conteúdo.

Grupo A

África do Sul

Continente: África
População: 47,9 Milhões de Habitantes
Capital: Cidade do Cabo (Legislativa), Pretória (Executiva) e Bloemfontein (Judiciária).
PIB: US$ 467,95 Bilhões
Moeda: Rand.

Curiosidade:
A África do Sul é o país de Nelson Mandela, Premio Nobel da Paz, por sua luta contra a segregação racial durante o Século XX naquele país.

Participações em Copas: 3
Melhores Participações: Primeira fase (1998, 2002)
Ranking da FIFA: 83º.

Craque do time: Steven Pienaar (M. Everton-ING)

Time-base: Khune; Gaxa, Mokoena, Khumalo e Masisela; Modise, Dikgacoi, Sibaya, Pienaar e Tshabalala; Mphela. T: Carlos Alberto Parreira.

Os anfitriões da Copa do Mundo esperam manter a tradição e passar a segunda fase, nunca na história a equipe da casa ficou na primeira fase. Mas os Bafana-Bafana vão ter dificuldades para chegar ao seu objetivo, pois, falta qualidade ao elenco sul-africano e tem um ataque fraco que não marca gols. Porem, no banco tem um técnico que pode fazer esse time jogar, Parreira, Campeão mundial em 94 pelo Brasil.

México

Continente: América do Norte
População: 109 milhões de habitantes
Capital: Cidade do México
PIB: US$ 1,346 trilhão
Moeda: Peso mexicano

Curiosidade:
O México tem como principal produto de exportação televisiva o seriado Chaves (El Chavo de Ocho), que conta, de uma maneira divertida, as histórias de um garoto que vive em uma vila. O Chaves já foi exportado para mais de 100 países e é sucesso há mais de 20 anos no Brasil.

Participações em Copas: 14
Melhores participações: quartas-de-final (1970, 1986)
Ranking da FIFA: 17º

Craque do time: Guardado (M. La Coruña-ESP)

Time-base: Ochoa; Osório, Rafa Marquez, Magallón e Salcido; Torrado, Castro e Guardado; Giovani dos Santos, Vela e Blanco. T: Javier Aguirre.

O México vem para mais uma Copa com um time mais experiente, com os veteraníssimos Blanco, Torrado e Rafa Márquez. O ponto forte é a defesa com Márquez, jogador do Barcelona. Outro jogador de destaque é o jovem Gio dos Santos que traz velocidade ao ataque mexicano. Com isto, os mexicanos esperam fazer um bom mundial.

Uruguai

Continente: América do Sul
População: 3,4 milhões de habitantes
Capital: Montevidéu
PIB: US$37,3 bilhões
Moeda: Peso Uruguaio

Curiosidade:
Por ser um país próximo ao Brasil e com ligações históricas, o Uruguai é o único pais do mundo não lusófono (que não fala o português), que a língua portuguesa é obrigatório nas escolas. O seu ensino se inicia a partir do sexto ano escolar.

Participações em Copas: 11
Melhores participações: Campeão (1930,1950)
Ranking da FIFA: 16º

Craque do time: Diego Forlán (A. Atlético de Madri-ESP)

Time-base: Muslera; Maxi Pereira, Lugano, Godín (Scotti) e Cáceres (Fucile); Perez, Álvaro Pereira, Eguren e Lodeiro; Forlán e Suarez. T: Oscar Tabarez

A Celeste Olímpica retorna a Copa após a ausência em 2006 e promete fazer bonito mesmo num grupo equilibrado. Os Uruguaios contam com uma defesa sólida comandada pelo ex-são paulino Diego Lugano, hoje ídolo no Fenerbahçe. Outro setor de destaque é o ataque formado pelos ótimos Diego Forlán e Luis Suarez, que são promessas de gols na copa e no banco ainda tem o botafoguense Loco Abreu. Mas falta alguém de qualidade para servir ao ataque, função que hoje cabe a Lodeiro. Mesmo assim, o Uruguai espera ir longe na África do Sul.

França

Continente: Europa
População: 65,4 milhões de habitantes.
Capital: Paris
PIB: US$ 2,2 trilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
Na França acontece o principal festival cinematográfico da Europa, o Festival de Cannes, que, todos os anos, reúne os principais diretores e críticos do cinema mundial em busca da desejada Palma de Ouro, premio dado aos ganhadores.

Participações em Copas: 13
Melhores participações: Campeão (1998)
Ranking da FIFA: 9º

Craque do time: Franck Ribery (M. Bayern de Munique-ALE)

Time-base: Lloris; Sagna, Gallas, Abidal e Evra; Toulalan, Diaby (Malouda) e Gourcuff; Ribery, Henry (Govou) e Anelka. T: Raymond Domenech.

O atual vice-campeão mundial entra para mais uma copa com um bom time e que quer brigar pelo Bicampeonato mundial. Para isto, o técnico “maluco”, Domenech, conta com um elenco homogêneo e bom. O destaque é para o ataque formado pelo craque Ribery e os experientes Henry e Anelka, mas tem um bom meio e que abastece esse ataque. O treinador francês, por seu jeito diferente de agir, gera desconfiança junto a torcida e cabe ao elenco dos Lês Bleus mandar a desconfiança para longe.

Grupo B

Argentina

Continente: América do Sul
População: 39,8 Milhões de Habitantes
Capital: Buenos Aires
PIB: US$ 523,7 Bilhões
Moeda: Peso Argentino

Curiosidade:
A carne argentina, além de constituir a base da alimentação neste país, também é conhecida por ser a melhor do mundo, tanto que o país é um dos principais fornecedores deste alimento para a União Europeia.

Participações em Copas: 15
Melhores participações: campeã (1978, 1986)
Ranking da FIFA: 7º

Craque do time: Lionel Messi (A. Barcelona-ESP)

Time-base: Romero; Otamendi, Samuel, Demichelis e Heinze; Mascherano, Verón, Jonás Gutierrez e Di Maria; Higuaín e Messi. T: Diego Maradona

Em busca do tricampeonato mundial, a Argentina chega para a disputa da Copa como uma das favoritas ao título. Em relação à última conquista, em 86, Diego Maradona continua presente, desta vez como treinador. E o maior craque do futebol argentino tem a missão de transformar um elenco de grandes estrelas, como Messi, Tevez, Higuaín e Milito, em um time vitorioso. O desempenho nas eliminatórias não foi bom, mas a qualidade técnica dos jogadores da albiceleste pode fazer a diferença.

Nigéria

Continente: África
População: 148 Milhões de Habitantes
Capital: Abuja
PIB: US$ 294,8 Bilhões
Moeda: Naira

Curiosidade:
A Nigéria tem a terceira maior indústria cinematográfica do mundo (apenas atrás de Hollywood e Bollywood), além de ser o país com a maior população ‘negra’ do planeta.

Participações em Copas: 4
Melhores participações: oitavas-de-final (1994, 1998)
Ranking da FIFA: 21º

Craque do time: Yakubu (A. Everton-ING)

Time-base: Enyeama; Odiah, Yobo, Shittu e Taiwo; Ayila, Kaita e Obasi; Yakubu, Martins (Obinna) e Odemwingie. T: Lars Lagerback

Grande parte da tradição da Nigéria em seu continente na década de 90 foi perdida ao longo dos anos, mas as Super Águias prometem surpreender na Copa do Mundo. Mesmo com uma campanha pouco empolgante nas eliminatórias, e uma recente troca de técnico (Lars Lagerback é o novo comandante), o objetivo continua sendo superar as quartas-de-final, o que nenhuma seleção africana conseguiu até hoje em Mundiais.

Coreia do Sul

Continente: Ásia
População: 49,5 Milhões de Habitantes
Capital: Seul
PIB: US$ 1,201 Trilhões
Moeda: Won

Curiosidade:
A Coreia do Sul é o país com a mais desenvolvida estrutura de tecnologia da informação existente, superando até mesmo as de Japão e Taiwan, e também dominando internacionalmente o setor de semicondutores.

Participações em Copas: 8
Melhores participações: 4° lugar (2002)
Ranking da FIFA: 47º

Craque do time: Park Ji-Sung (M. Manchester United-ING)

Time-base: Lee Woon-Jae; Oh Beom-Seok, Cho Yong-Hyung, Lee Jung-Soo e Le Young-Pyo; Lee Chung-Yong, Kim Jung-Woo, Ki Sung-Yong e Park Ji-Sung; Park Chu-Young e Lee Keun-Ho. T: Huh Jung-Moo

Semifinalista na Copa de 2002, a Coreia do Sul não tem pretensões tão altas nesta Copa do Mundo, mas àquela surpreendente campanha acaba servindo de inspiração para outras seleções que querem um lugar ao sol, inclusive os próprios sul-coreanos. Eles já se dão por satisfeitos em passarem da primeira fase, e para isso, contam com o talento individual de Park, meio-campista do Manchester United, da Inglaterra.

Grécia

Continente: Europa
População: 11,2 Milhões de Habitantes
Capital: Atenas
PIB: US$ 412,5 Bilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
Historicamente, a Grécia é o berço do nascimento da democracia, da filosofia ocidental, dos Jogos Olímpicos, da literatura ocidental e da historiografia, bem como da Ciência política e do teatro ocidental, incluindo gêneros como drama, tragédia e comédia.

Participações em Copas: 2
Melhores participações: fase de grupos (1994)
Ranking da FIFA: 13º

Craque do time: Theofanis Gekas (A. Frankfurt-ALE)

Time-base: Tzorvas; Vyntra (Seitaridis), Krygiakos, Moras e Torosidis; Tziolis, Katsouranis e Karagounis; Salpingidis, Gekas e Samaras. T: Otto Rehhagel.

Mantendo relativamente a base da equipe campeã da Eurocopa em 2004, a Grécia chega para a disputa do seu segundo Mundial com um time experiente, que dificilmente sentirá o peso de jogar uma Copa. Gekas, recentemente transferido para o Frankfurt, foi o artilheiro das eliminatórias européias e é o grande trunfo do time comandado por Otto Rehhagel.

Grupo C

Inglaterra

Continente: Europa
População: 50,8 Milhões de Habitantes
Capital: Londres
PIB: US$ 1,9 trilhão
Moeda: Libra Esterlina

Curiosidade:
A Inglaterra faz parte do Reino Unido, juntamente com Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. E o Reino Unido é o único país que faz parte da União Européia que não adota o Euro como moeda, tem a tradicional Libra.

Participações em Copas: 13
Melhores Participações: Campeão (1966)
Ranking da FIFA: 8°

Craque do Time: Wayne Rooney (A. Manchester United-ING)

Time-Base: Green; Glen Johnson, King, Terry e Ashley Cole; Barry, Lampard, Gerrard e Lennon; Rooney e Defoe. T: Fabio Capello.

O Engilsh Team chega bem a mais uma copa. O time do ótimo treinador, Fabio Capello, é considerado um dos favoritos ao título na África e enche de esperanças a exigente torcida inglesa. Muitos na Inglaterra apontam esse time de 2010 o melhor desde a conquista da Copa em 66 e motivos não faltam para isso. O time conta com uma forte defesa formada por Terry e Ferdinand, um meio campo altamente criativo e que sabe fazer gols com Lampard e Gerrard e para completar, no ataque, Rooney que vem de uma temporada esplendorosa pelo Manchester United. Com todos estes atrativos, o English Team tem tudo para fazer uma ótima copa e, quem sabe, chegar ao segundo título.

Estados Unidos

Continente: América do Norte
População: 308,7 milhões de habitantes
Capital: Washington
PIB: US$ 14,02 Trilhões
Moeda: Dólar Americano

Curiosidade:
O dia de maior audiência na TV dos Estados Unidos é o dia do Super Bowl, a final do Futebol Americano. No Super Bowl de 2010, cerca de 200 milhões de americanos assistiram ao jogo.

Participações em Copas: 9
Melhor Participação: 3° lugar (1930)
Ranking da FIFA: 14º

Craque do Time: Landon Donovan (M. Los Angeles Galaxy-EUA)

Time-base: Howard; Spector, DeMerit, Onyewu e Bocanegra; Clark, Bradley, Dempsey, Holden e Donovan; Altidore. T: Bob Bradley.

Os EUA vem para mais uma copa com chances de passar para a segunda etapa do mundial. A base que surpreendeu na Copa das Confederações 2009 está mantida, com bons jogadores como o zagueiro Onyewu e o meia Dempsey. Mas a esperança norte-americana está nos pés do craque Donovan. Com estes nomes, a equipe americana espera ir bem na África.

Argélia

Continente: África
População: 32,5 milhões de habitantes
Capital: Argel
PIB: US$ 217,2 Bilhões
Moeda: Dinar Argelino

Curiosidade:
Por conta da recente independência da França (1962), muitos argelinos vão para a Europa tentar a vida, especialmente, na França. Um dos ícones desta emigração argelina é Zinedine Zidane, craque da França e filho de argelinos.

Participações em Copas: 3
Melhores participações: Primeira Fase (1982,1986)
Ranking da FIFA: 30º

Craque do Time: Karim Ziani (M. Wolfsburg-ALE)

Time-Base: Chaouchi; Yahia, Halliche, Bougherra e Belhadj; Yebda, Mansouri, Matmour e Ziani; Saifi e Ghezzal. T: Rabah Saadane.

A Argélia volta ao mundial após 24 anos de ausência e conseguiu um feito nas Eliminatórias, tirar o favorito e rival Egito em um jogo extra. Mas sofreu uma baixa importante as vésperas do mundial, perdeu o meia Meghni por contusão, agora, o líder da equipe em campo é Ziani, do Wolfsburg da Alemanha. Mesmo com caras não muito famosas, a Argélia pode surpreender na Copa.

Eslovênia

Continente: Europa
População: 2 Milhões de Habitantes
Capital: Ljubliana
PIB: US$ 47,8 Bilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
Um dos filhos mais ilustres da Eslovênia é o sociólogo Thomas Luckmann, autor do famoso livro “A Construção Social da Realidade” junto com Peter Berger.

Participações em Copas: 2
Melhor participação: Primeira Fase (2002)
Ranking da FIFA: 25°

Craque do time: Valter Birsa (M. Auxerre-FRA)

Time-Base: Samir Handanovic; Brecko, Suller, Bostjan Cesar e Jokic; Koren, Radosavljevic, Kirm (Krhin) e Birsa; Dedic e Novakovic. T: Matjaz Kek.

A Eslovênia disputa seu segundo mundial esse ano e tem um time que surpreendeu a favorita Rússia na Repescagem das Eliminatórias Européias. Foi um feito heróico dos eslovenos, mas eles sonham com muito mais na Copa, a chegada a Segunda fase e tem time para isto. A Eslovênia tem como destaque Valter Birsa do Auxerre da França, que conquistou uma vaga na próxima Liga dos Campeões.

Grupo D

Alemanha

Continente: Europa
População: 81,7 Milhões de Habitantes
Capital: Berlim
PIB: US$ 3, 26 Trilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
Os esportes, principalmente o futebol, são parte integrante da vida do povo alemão. Mais de 27 milhões de alemães são membros de um clube esportivo. A Federação Alemã de Futebol é a maior organização desportiva do mundo, e o Campeonato Alemão atrai a segunda maior média de público do planeta. Na Fórmula 1, a Alemanha também tem muita tradição, tanto em carros, equipes e pilotos, como Michael Schumacher.

Participações em Copas: 17
Melhores participações: campeã (1954, 1974, 1990)
Ranking da FIFA: 6º

Craque do time: Bastian Schweinsteiger (M. Bayern de Munique-ALE)

Time-base: Neuer; Boateng, Mertesacker, Friedrich e Lahm; Khedira, Schweinsteiger, Özil, Podolski e Müller; Cacau. T: Joachim Löw.

Sede da Copa de 2006, na qual ficou em 3º lugar, a Alemanha aposta na tradição para alcançar o título. Os torcedores estão preocupados, principalmente com a série de baixas que o elenco já sofreu por contusão: além de Adler, Rolfes, Westermann e Träsch, o capitão e estrela do time, Michael Ballack, também está fora do Mundial. Assim, o conjunto passa a ser a principal arma, com jogadores de qualidade, como Schweinsteiger, Özil e Klose.

Austrália

Continente: Oceania
População: 21,4 Milhões de Habitantes
Capital: Camberra
PIB: US$ 908,9 Bilhões
Moeda: Dólar Australiano

Curiosidade:
Apesar de fazer parte da Oceania, a seleção australiana, desde 2006, está integrada a Confederação Asiática de Futebol, disputando as eliminatórias com os asiáticos, e classificando-se pela primeira vez a uma Copa do Mundo sem a necessidade de disputar uma repescagem, o que era obrigatório após vencer as eliminatórias da Oceania.

Participações em Copas: 3
Melhores participações: oitavas-de-final (2006)
Ranking da FIFA: 20º

Craque do time: Harry Kewell (A. Galatasaray-TUR)

Time-base: Schwarzer; Chipperfield, Moore, Neill e Wilkshire; Grella, Culina, Cahill, Bresciano e Kewell; Kennedy. T: Pim Veerbek.

O bom desempenho na Copa de 2006, na qual chegou às oitavas-de-final, permite a Austrália sonhar com um bom desempenho na África do Sul. Individualmente, o time tem qualidade, contando com jogadores como Bresciano, Cahill e Kewell. Agora representante do continente asiático, os australianos sabem que são a terceira força do grupo, e devem batalhar com a Sérvia pelo segundo lugar.

Sérvia

Continente: Europa
População: 10,1 Milhões de Habitantes
Capital: Belgrado
PIB: US$ 41,6 Bilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
Se no futebol a Sérvia não é lá uma potência, no vôlei ela impõe bastante respeito. No voleibol masculino, por exemplo, os sérvios já paparam quatro medalhas de prata na Liga Mundial, e um ouro olímpico no ano de 2000, em Sydney. Nikola Grbic, Vladmir Grbic e Ivan Miljkovic são alguns dos nomes que tiveram (ou ainda tem) destaque pela seleção na história do vôlei.

Participações em Copas: 2 (*uma como Sérvia e Montenegro)
Melhores participações: primeira fase (2006)
Ranking da FIFA: 15º

Craque do time: Dejan Stankovic (M. Internazionale-ITA)

Time-base: Stojkovic; Ivanovic, Vidic, Subotic e Kolarov; Kuzmanovic, Milijas, Stankovic e Krasic; Pantelic e Zigic. T: Radomir Antic

A ótima campanha nas eliminatórias européias, desbancando com sobras a campeã mundial França em seu grupo, coloca a Sérvia como forte candidata a possível surpresa nesta Copa do Mundo. Individualmente, o time é muito bom, com uma defesa sólida, baseada na qualidade de jogadores como Vidic e Ivanovic, e um ataque também muito forte, tanto no 4-4-2, como no 4-3-3. Pela primeira vez como nação independente em Mundiais, a Sérvia pode aprontar.

Gana

Continente: África
População: 23,3 Milhões de Habitantes
Capital: Accra
PIB: US$ 31,2 Bilhões
Moeda: Cedi

Curiosidade:
Gana é o país de origem do diplomata Kofi Annan, vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 2001. Por dez anos (entre 1997 e 2007), Annan foi o sétimo secretário-geral da ONU, mas já havia começado a trabalhar nas Nações Unidas ainda em 1962, na Organização Mundial da Saúde.

Participações em Copas: 2
Melhores participações: oitavas-de-final (2006)
Ranking da FIFA: 32º

Craque do time: Sulley Muntari (M. Internazionale-ITA)

Time-base: Kingson; Inkoom, Mensah, Pantsil e Sarpei; Appiah, Asamoah, Annan e Muntari; Amoah e Gyan. T: Milovan Rajevac.

Gana surpreendeu na disputa de seu primeiro Mundial, em 2006, quando chegou às oitavas-de-final. Em solo africano, a confiança em superar o desempenho na Alemanha é grande, mas para isso, o time vai ter que se reestruturar sem o craque Essien, que foi cortado na última semana por motivo de contusão. Sem o cérebro da equipe, a missão dificultou ainda mais, mas os torcedores preferem se basear nos números: o vice-campeonato na Copa Africana das Nações inspirou confiança para o Mundial.

Grupo E

Holanda

Continente: Europa
População: 16,5 Milhões de Habitantes
Capital: Amsterdã
PIB: US$ 541 Bilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
A culinária holandesa é feita a base de batata, geralmente, é acompanhado de carnes e vegetais cozidos.

Participações em Copas: 9
Melhores participações: Vice-Campeão (1974,1978)
Ranking da FIFA: 4º

Craque do Time: Wesley Sneijder (M. Internazionale-ITA)

Time-base: Stekelenburg; van der Wiel (Boulahrouz), Heitinga, Mathijsen e van Bronckhorst; van Bommel, de Jong e Sneijder; Kuyt, Robben e van Persie. T: Bert van Marwijk.

Uma das favoritas ao mundial desse ano, a Holanda chega creditada e com bons nomes em seu elenco. A defesa é o ponto fraco, mas do meio para frente, a Laranja conta com um timaço, comandado pelos ótimos Sneijder e Robben, que, recentemente, se enfrentaram na final da Liga dos Campeões, onde Sneijder saiu vencedor. Mas o técnico Bert van Marwijk ainda tem o atacante van Persie, esperança de gols da Holanda.

Dinamarca

Continente: Europa
População 5,5 Milhões de Habitantes
Capital: Copenhagem
PIB: US$ 198,5 Bilhões
Moeda: Coroa

Curiosidade:
O dinamarquês mais conhecido é o escritor Hans Christian Andersen, autor de vários contos de fada famosos como “As Roupas Novas do Imperador” e “O Patinho Feio”, livros que fazem sucesso entre as crianças.

Participações em Copas: 4
Melhores participações: Quartas-de-final (1998)
Ranking da FIFA: 36º

Craque do time: Nicklas Bendtner (A. Arsenal-ING)

Time-base: Sorensen; Lars Jacobsen, Kjaer, Kroldrup e Agger; Christian Poulsen, Daniel Jensen, Rommedahl e Kahlenberg; Bendtner e Tomasson. T: Morten Olsen.

Os dinamarqueses voltam ao mundial após a ausência na Alemanha e com um time bastante experiente com velhos conhecidos como o atacante Tomasson e o meia Rommedahl. Mas a grande esperança de boa campanha na África é o atacante Nicklas Bendnter, titular do Arsenal da Inglaterra, e artilheiro da seleção.

Japão

Continente Ásia
População: 127,4 Milhões de Habitantes
Capital: Tóquio
PIB: US$ 4,3 trilhões
Moeda: Yene

Curiosidade:
Um dos principais produtos de exportação da cultura do Japão são os Mangás, que são histórias desenhadas em quadrinhos e revela um pouco da cultura japonesa. As histórias em mangás tem fãs em todo o mundo, inclusive no Brasil.

Participações em copas: 4
Melhor participação: Oitavas-de-final (2002)
Ranking da FIFA: 45°

Craque do time: Keishuke Honda (M. CSKA Moscou-RUS)

Time-base: Narazaki; Nakazawa, Tulio Tanaka, Uchida e Komano; Hasebe, Endo, Kengo Nakamura, Shunsuke Nakamura e Honda; Okubo. T: Takeshi Okada.

O Japão, presente nas últimas 3 copas, volta ao mundial querendo repetir o feito da Copa em que sediou em 2002, onde chegou as oitavas-de-final. Para isto, os japoneses apostam na velocidade de seu meio campo com Shunsuke Nakamura e Keisuke Honda, mas falta gente para compor o ataque.

Camarões

Continente: África
População: 18,5 Milhões de Habitantes
Capital: Yaoundé.
PIB: US$ 40 Bilhões
Moeda: Franco CFA

Curiosidade:
A República de Camarões tem dois tipos de Feriados Religiosos, os Cristãos (sexta-feira Santa, Domingo e Segunda de Páscoa) e os Muçulmanos ('Id al-Fitr e 'Id al-Adha), isto acontece porque há duas religiões oficiais, o Catolicismo e o Mulçumano.

Participações em Copas: 6
Melhor participação: Quartas-de-final (1990)
Ranking da FIFA: 19°

Craque do time: Samuel Eto’o (A. Internazionale-ITA)

Time-base: Kameni; Geremi, Rigobert Song, Nkoulou e Assou-Ekotto; Alexandre Song, Makoun, Enoh e Emana; Webo e Eto’o. T: Paul Le Guen.

Os Leões Indomáveis voltam a Copa após a ausência em 2006 e montaram um bom time que promete surpreender em seu continente. O bom técnico Paul Le Guen conta com bons nomes em todos os setores da equipe, todos eles liderados pelo craque da Inter de Milão, atual Campeã da Europa, Samuel Eto’o e seu faro de gol apuradíssimo. A esperança é repetir ou superar o feito de 1990, onde Camarões com o lendário Roger Millá, alcançou as quartas-de-final, e tem time para isto.

Grupo F

Itália

Continente: Europa
População: 60,3 Milhões de Habitantes
Capital: Roma
PIB: US$ 1,81 Trilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
Na culinária italiana, as massas são o alimento básico da população. Espaguete, macarrão, ravióli, lasanha, pizza e fettuccini foram difundidos pelos italianos, por exemplo (já que existem dúvidas sobre as verdadeiras origens de alguns destes tipos de massas).

Participações em Copas: 17
Melhores participações: campeã (1934, 1938, 1982, 2006)
Ranking da FIFA: 5º

Craque do time: Andrea Pirlo (M. Milan-ITA)

Time-base: Buffon; Zambrotta, Cannavaro, Chiellini e Criscito; De Rossi, Pirlo (Iaquinta), Marchisio e Camoranesi; Gilardino e Di Natale. T: Marcelo Lippi

A Itália luta contra a desconfiança para conquistar o bicampeonato mundial seguido, o que seria a conquista de sua 5ª Copa do Mundo, igualando-se ao Brasil no topo de maiores vencedores da competição. Com um grupo considerado envelhecido, a Azzurra tem na experiência o seu principal trunfo para ratificar novamente a sua grandeza. O destaque Pirlo se lesionou recentemente e é duvida para a Copa.

Paraguai

Continente: América do Sul
População: 6,1 Milhões de Habitantes
Capital: Assunção
PIB: US$ 28,3 Bilhões
Moeda: Guarani

Curiosidade:
No Paraguai, existem os chamados “brasiguaios”, estimados em 350 mil, que vivem em áreas fronteiriças com o Brasil. Em sua maioria, são agricultores de origem alemã ou italiana (que falam português), e a presença deste povo já provocou sentimentos nacionalistas e xenófobos entre os paraguaios, preocupados com a perda de sua identidade nacional.

Participações em Copas: 8
Melhores participações: oitavas-de-final (1986, 1998, 2002)
Ranking da FIFA: 31º

Craque do time: Roque Santa Cruz (A. Manchester City-ING)

Time-base: Villar; Verón, Cáceres, Paulo da Silva e Morel Rodriguez; Bonet, Vera e Barreto; Valdez (Cardozo), Barrios e Santa Cruz. T: Gerardo Martino.

Em sua quarta Copa do Mundo consecutiva, o Paraguai, antes reconhecido pela sua consistência defensiva, agora tem no ataque a sua arma letal: mesmo com o desfalque de Cabañas, baleado na cabeça em Janeiro, o técnico Gerardo Martino dispõe de jogadores como Barrios, Santa Cruz, Valdez e Cardozo. A ótima campanha nas eliminatórias sul-americanas, classificando-se com duas rodadas de antecedência, faz com que o Paraguai tenha condições de finalmente superar as oitavas-de-final em Mundiais.

Nova Zelândia

Continente: Ásia
População: 4,2 Milhões de Habitantes
Capital: Wellington
PIB: US$ 111,7 Bilhões
Moeda: Dólar da Nova Zelândia

Curiosidade:
Além de seu isolamento geográfico (a cerca de 2000 km da Austrália), a Nova Zelândia é um país desenvolvido, que tem bons números em desenvolvimento humano, qualidade de vida, alfabetização e educação pública, e suas cidades são consideradas as mais habitáveis do mundo.

Participações em Copas: 2
Melhores participações: fase de grupos (1982)
Ranking da FIFA: 78º

Craque do time: Ryan Nelsen (Z. Blackburn-ING)

Time-base: Paston; Sigmund, Nelsen, Vicelich e Locchead; Bertos, Tim Brown e Elliott; Smeltz, Fallon e Killen. T: Ricki Herbert.

Considerada a seleção mais frágil da Copa do Mundo, a Nova Zelândia luta por uma missão praticamente impossível: deixar pra trás o status de coadjuvante. Em seu segundo Mundial na história, os All Whites ainda não abandonaram seu estilo de jogo ingênuo, e devem oferecer pouco perigo. Conquistar seu primeiro ponto em Copas já seria considerado um feito histórico.

Eslováquia

Continente: Europa
População: 5,4 Milhões de Habitantes
Capital: Bratislava
PIB: US$ 99,1 Bilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
Dentre as 32 seleções que disputarão essa edição da Copa do Mundo, a Eslováquia é a única estreante. Independente desde 1 de Janeiro de 1993, o país desbancou seleções como Polônia, República Tcheca e Eslovênia em sua chave para conquistar esse feito histórico, certamente o maior da história do futebol eslovaco.

Participações em Copas: 1
Melhores participações: -
Ranking da FIFA: 34º

Craque do time: Marek Hamsik (M. Napoli-ITA)

Time-base: Mucha; Pekarik, Skrtel, Durica e Zabavnik; Kozak, Kopunek (Stoch), Weiss, Hamsik; Sestak e Vittek. T: Vladimir Weiss

Dissolvida da Tchecoslováquia na década passada, a Eslováquia chega para a disputa de seu primeiro Mundial com um time consistente, que tem condições de ao menos superar a primeira fase. As esperanças recaem sobre o habilidoso meia Hamsik, destaque do Napoli, além do zagueiro Skrtel, do Liverpool, um dos responsáveis pela consistência defensiva dos eslovacos.

Grupo G

Brasil

Continente: América do Sul
População: 193 Milhões de Habitantes
Capital: Brasília
PIB: US$ 2 Trilhões
Moeda: Real

Curiosidade:
O Brasil é o maior país católico do mundo, cerca de 73% da população de nosso país se declara ser católico, mas as religiões evangélicas (ou protestantes) vem crescendo muito e tirando fiéis da Igreja Católica.

Participações em Copas: todas as 19 Copas
Melhores participações: Campeão (1958,1962,1970,1994,2002)
Ranking da FIFA: 1°

Craque do time: Kaká (M. Real Madrid-ESP)

Time-base:
Júlio César; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano e Kaká; Robinho e Luis Fabiano. T: Dunga.

A nossa Seleção chega em busca do Hexa na África do Sul com uma equipe de confiança do técnico Dunga, mas de desconfiança do torcedor brasileiro. O setor defensivo é o único de unanimidade com os ótimos Júlio César, Maicon, Lúcio e Juan, mas do meio para frente as únicas unanimidades são Kaká e Luis Fabiano. O técnico brasileiro deixou de convocar bons nomes como Ronaldinho Gaúcho e Ganso, mas a favor do treinador, está o fato de que o time joga a muito tempo e é a base que foi Campeã da Copa das Confederações. Como é o Brasil, não podemos desprezar e deixar de apontar como um dos favoritos ao Mundial.

Coréia do Norte

Continente: Ásia
População: 24 milhões de habitantes
Capital: Pyongyang
PIB: US$ 40 bilhões
Moeda: Won norte-coreano

Curiosidade:
A Coréia do Norte é o único país que ainda mantém o comunismo como forma de economia e é uma ditadura fechada para o mundo. Os EUA acusam o governo norte-coreano de usar armas nucleares para fins militares e de fazer terrorismo.

Participações em Copas: 2
Melhor participação: Quartas-de-final (1966)
Ranking da FIFA: 105° lugar

Craque do time: Jong Tae-Se (A. Kawasaki Frontale-JAP)

Time-base: Myong-Guk; Jong-Hyok, Jun-Li, Nam-Chol e Kwang-Chon; Yun-Nam, In-Guk, Yong-Jun e Yong-Hak; Yong-Jo e Tae-Se. T: Kim Jong-Hum.

A seleção mais fechada do mundo conseguiu a classificação para sua segunda copa na história, a primeira foi em 1966, onde os norte-coreanos aprontaram uma das maiores zebras da história ao derrotar e eliminar a poderosa Itália, chegando a segunda fase. Como é uma seleção fechada, pouco se sabe sobre ela. O nome mais conhecido da Coréia é o atacante Jong Tae-Se, apelidado de Rooney Asiático, alusão ao porte físico ser semelhante ao do inglês, e é a esperança de surpresa na copa.

Costa do Marfim

Continente: África
População: 20,2 milhões de habitantes
Capital: Abdijan
PIB. US$ 32,8 bilhões
Moeda: Franco CFA

Curiosidade:
A Economia da Costa do Marfim é baseada na exportações de produtos tropicais, como banana, abacaxi e café. O país é o maior exportador de Cacau do mundo.

Participações em copas: 2
Melhor participação: 1ª fase (2006)
Ranking da FIFA: 27°

Craque do Time: Didier Drogba (A. Chelsea-ING)

Time-base: Barry; Eboué, Kolo Toure, Bamba e Tiené; Zokora, Yaya Touré e Tioté; Kalou, Gervinho e Drogba. T: Sven Göran Eriksson.

A Costa do Marfim chega a sua segunda Copa com um bom time formado pelo experiente técnico Eriksson, ex-treinador de México e Inglaterra. A equipe laranja da África tem bons nomes como o zagueiro Kolo Touré, o volante Yaya Toure, titulares de grandes equipes na Europa. Mas o grande destaque é o trio de ataque comandado pela estrela do Chelsea, Didier Drogba, que é a grande esperança dos Elefantes de chegar longe no Mundial.

Portugal

Continente: Europa
População: 10,6 milhões de habitantes
Capital: Lisboa
PIB: US$ 253,5 Bilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
Portugal foi um dos primeiros países do mundo a ter uma Auto-Estrada, inaugurada em 1944, a estrada liga o centro de Lisboa ao estádio Nacional, situado ao norte da capital portuguesa.

Participações em Copas: 4
Melhor participação: 3º lugar (1966)
Ranking da FIFA: 3º

Craque do time: Cristiano Ronaldo (A. Real Madrid-ESP)

Time-base: Eduardo; Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Bruno Alves e Fabio Coentrão; Pepe, Raul Meireles e Deco; Nani, Cristiano Ronaldo e Liédson. T: Carlos Queiroz.

Os portugueses recorreram ao talento brasileiro para montar o time para o Mundial. Além dos já naturalizados Deco e Pepe, se juntou a eles o atacante Liédson. O brasileiro chegou para suprir a principal carência do time português, a ausência de um matador. O ataque é o principal setor da equipe de Carlos Queiroz, além do brasileiro, Queiroz conta com os habilidosos Nani e Cristiano Ronaldo, craque do time e que já foi melhor do mundo. Dos pés do camisa 7 sai as esperanças portuguesas de ir longe na Copa do Mundo.

Grupo H

Espanha

Continente: Europa
População: 46,1 Milhões de Habitantes
Capital: Madri
PIB: US$ 1,43 Trilhões
Moeda: Euro

Curiosidade:
Na Espanha também existe carnaval! No final de fevereiro, existem algumas festas carnavalescas nos moldes das do Rio de Janeiro, sobretudo nas cidades de Tenerife e Cádiz. Podemos destacar ainda o hábito dos espanhois em dormir após o almoço, acarretando às vezes no fechamento do comércio local por pelo menos duas horas.

Participações em Copas: 13
Melhores participações: 3° lugar (1950)
Ranking da FIFA: 2º

Craque do time: Xavi Hernandez (M. Barcelona-ESP)

Time-base: Casillas; Sergio Ramos, Albiol, Puyol e Capdevila; Xabi Alonso, Xavi, Iniesta e Silva; Torres e Villa. T: Vicente del Bosque.

Não há nada mais incômodo para um espanhol no mundo do futebol do que a ausência de um título de uma Copa do Mundo. A conquista da Eurocopa em 2008 credencia a Espanha como uma das favoritas (se não a maior) para o título Mundial, mas para que isso se concretize, será necessário primeiramente espantar o estigma de sempre ‘morrer na praia’. O plantel é ótimo: talvez nenhuma outra seleção tenha tantos craques à disposição como a Fúria. Resta saber se, na prática, eles farão a diferença.

Suíça

Continente: Europa
População: 7,5 Milhões de Habitantes
Capital: Berna
PIB: US$ 315,7 Bilhões
Moeda: Franco Suíço

Curiosidade:
Mundialmente, existe o clichê de a Suíça ser o ‘país do chocolate’, justamente por esse produto ser fabricado no mais alto nível exigido no mercado. O chocolate foi levado à Europa no século XVI, mas só na segunda parte do século XIX ganhou destaque na Suíça, que o espalhou pelo mundo, e foi pioneira na invenção do famoso chocolate ao leite.

Participações em Copas: 9
Melhores participações: quartas-de-final (1934, 1938, 1954)
Ranking da FIFA: 24º

Craque do time: Tranquillo Barnetta (M. Bayer Leverkusen-ALE)

Time-base: Benaglio; Lichtsteiner, Senderos, Gritching e Magnin; Inler, Padalino, Gelson Fernandes e Barnetta; N’Kufo (Derdiyok) e Frei. T: Ottmar Hitzfeld.

Ninguém sabe ao certo o que esperar da Suíça na Copa do Mundo, mas dificilmente esta equipe conseguirá superar as oitavas-de-final, visto que deve brigar pelo segundo lugar em seu grupo, e caso consiga superar seus concorrentes, deve enfrentar Brasil, Portugal ou Costa do Marfim na fase final. A principal virtude desta equipe é a consistência defensiva, que foi eficiente na Copa de 2006 (não sofreu nenhum gol, mas acabou eliminada nos pênaltis para a Ucrânia).

Honduras

Continente: América do Norte
População: 7,8 Milhões de Habitantes
Capital: Tegucigalpa
PIB: US$ 30,6 Bilhões
Moeda: Lempira

Curiosidade:
O segundo maior país da América Central é conhecido como ‘a República das bananas’, pois 65% da população ativa está empregada no trabalho da cultura da banana, e é o segundo maior produtor deste fruto no mundo.

Participações em Copas: 2
Melhores participações: fase de grupos (1982)
Ranking da FIFA: 38º

Craque do time: Wilson Palacios (V. Tottenham-ING)

Time-base: Valladares; Izaguirre, Chávez, Sabillón e Figueroa; Palacios, Alvarez, Guevara e De León; Suazo e Pavón. T: Reinaldo Rueda.

Após surpreender nas eliminatórias da Concacaf, ao superar a Costa Rica na briga pela terceira vaga do continente para a Copa do Mundo, Honduras também quer aprontar na África do Sul. Apesar das (poucas) expectativas que cercam a equipe, é fato que os hondurenhos são a quarta força do grupo, e entram como azarões na disputa. As esperanças recaem sobre o meia Palacios, do Tottenham, e o centroavante Suazo, que destoam tecnicamente do resto do time. O artilheiro Carlos Costly lesionou o pé e ficou de fora.

Chile

Continente: América do Sul
População: 16,5 Milhões de Habitantes
Capital: Santiago
PIB: US$ 160,7 Bilhões
Moeda: Peso Chileno

Curiosidade:
O esporte nacional do Chile é o Rodeo, em que dois cavalos e dois cavaleiros devem parar um touro em um cerco do esporte chamado medialuna. Os cavaleiros são chamados huasos. Também são tradicionalíssimos no país o futebol e o tênis.

Participações em Copas: 8
Melhores participações: 3° lugar (1962)
Ranking da FIFA: 18º

Craque do time: Humberto Suazo (A. Zaragoza-ESP)

Time-base: Bravo; Medel, Jara, Contreras e Ponce; Vidal, Carmona e Valdivia (Matias Fernandes); Beausejour, Alexis Sanchez e Suazo. T: Marcelo Bielsa.

Futebol ofensivo e objetivo. É essa a proposta do Chile para a Copa do Mundo, e para isso, dispõe de uma boa quantidade de jogadores tecnicamente muito bons, como Valdivia, Alexis Sanchez e o artilheiro Humberto Suazo. Os bons meias Fernandez e Mark Gonzalez ficam no banco. Comandada por Marcelo Bielsa, essa geração tem tudo para fazer bonito em solo africano. Os chilenos devem brigar pela segunda vaga do grupo, contra Suíça e Honduras, já que a Espanha é franca favorita sobre os demais.

2 comentários:

Alba ... vivendo na terra dos sonhos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alba ... vivendo na terra dos sonhos disse...

Ficou ótimo o guia, um trabalho excelente. Uma preparação para entrar no espírito da Copa 2010. Vou acompanhar no Esporte é Vida.

Ps: Adorei a curiosidade do japão.